sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Planeta "irmão" de Júpiter descoberto a 100 anos luz de distância

Fotografia © Instituto Seti/ Danielle Futselaar e Franck Marchis

Um novo sistema instalado na Terra desenhado para captar imagens de planetas fora do sistema solar descobriu o seu primeiro astro.
O planeta foi chamado 51 Eridani b e foi descoberto pelo Gemini Planet Imager, o sistema montado no telescópio Gemini South no Chile. O Eridani b encontra-se a cerca de 100 anos luz do Sistema Solar. O exoplaneta tem uma massa duas vezes maior do que Júpiter mas de resto é muito semelhante ao nosso gigante vizinho. A sua atmosfera é rica em metano, um elemento também presente na atmosfera de Júpiter.
"Muitos dos astrónomos de exoplanetas tinham imagens de atmosferas que pareciam estrelas, este parece um planeta" disse Bruce Macintosh, co-autor do estudo sobre o novo planeta, citado pelo Mashable.
O Gemini Planet Imager capta imagens diretas dos exoplanetas, ao contrário do telescópio espacial Kepler, que procura sinais da existência de planetas através da redução da luninosidade da estrela que eles orbitam quando estes passam em frente a ela.
O Eridani b é na verdade mais novo que Júpiter e está mais afastado da sua estrela do que Júpiter está do Sol. No nosso Sistema Solar, este novo planeta orbitaria entre Saturno e Urano.
Também a estrela daquele sistema, 51 Eridani, é muito mais nova que o Sol: este tem 4,5 mil milhões de anos e a 51 Eridani tem apenas 20 milhões de anos.
Esta relativa juventude da 51 Eridani, já com um sistema planetário associado, vem contribuir para a discussão científica de como se formam os planetas.
Existem duas teorias dominantes sobre a formação de planetas: uma defende que os planetas têm maioritariamente um inicio "frio"; outra de que tiveram um inicio "quente".
Os planetas do Sistema Solar terão tido um ínicio "frio", ou seja, formaram-se através da junção de pequenas particulas, até que é criado um núcleo firme, que depois atrai gases para que seja formada uma atmosfera.
Por outro lado, os planetas podem ter um ínicio "quente", em que os materiais do disco solar - material solar que sobra da formação da estrela - em movimento rápido, se junta em aglomerados que criam de formam muito mais rápida os planetas.
Muitos dos exoplanetas descobertos até agora poderiam ter surgido através do processo "quente". No entanto, o 51 Eridani b "é o primeiro que está suficientemente frio e suficientemente perto de uma estrela para ter sido formado à 'maneira antiga'" disse Macintosh, ou seja, como aconteceu em órbita do Sol. O que leva este cientista a dizer que "todo este sistema planetário pode ser muito parecido com o nosso".

Fonte: http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=4728998&page=-1

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...