terça-feira, 24 de março de 2015

Salamandras "monstruosas" com 200 milhões de anos descobertas no Algarve

A salamandra teria centenas de dentes e uma cabeça achatada, como se vê nesta representação artística. As salamandras desta espécie eram do tamanho de carros e eram carnívoras.

Uma nova espécie de salamandra do período Triássico foi descoberta no Algarve por uma equipa internacional de paleontólogos. 

A investigação, publicada na revista científica Journal of Vertebrate Paleontology, foi liderada pela Universidade de Edimburgo mas contou com a colaboração de outras instituições incluindo a Universidade Nova de Lisboa e o Museu da Lourinhã.

A salamandra viveu há cerca de 200 milhões de anos. Centenas das criaturas terão morrido quando secou o lago que habitavam, que ficava na zona que hoje pertence a Loulé, no Algarve, deixando para trás inúmeros fósseis que estão hoje a ser escavados. O nome do anfíbio homenageia a região onde foi descoberto: Metoposaurus algarvensis.

"A riqueza do local era impressionante", disse à Sábado um dos paleontólogos envolvidos no projeto, Octávio Mateus. "A jazida tinha uma densidade de vários crânios por metro quadrado".

As criaturas desta espécie tinham centenas de dentes. São os antepassados das salamandras e de vários anfíbios atuais, mas o seu comportamento seria mais semelhante ao de um crocodilo, visto que eram carnívoras. "Tinha centenas de dentes afiados na sua grande cabeça plana, que era como um assento de sanita quando ficava fechada", descreveu à BBC um dos responsáveis da investigação, Steven Brusatte da Universidade de Edimburgo.

"Esta descoberta é o exemplo de um achado de uma época da qual conhecemos muito pouco em Portugal, o Triássico, há cerca de 200 milhões de anos, altura em que viveram alguns dos primeiros dinossauros", acrescentou Octávio Mateus.

Fonte: http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=4472521

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...