sábado, 25 de abril de 2015

Cientistas descobrem exemplar raro de 'mini-tubarão' com apenas 14 centimetros

Este foi o segundo exemplar do gênero 'Mollisquama' já encontrado.

Ele estava entre espécies coletadas em 2010 e foi achado em laboratório.

A Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) trabalhou com pesquisadores da Universidade Tulane para identificar que o exemplar é um Mollisquama  (Foto: Michael Doosey/Tulane University/Divulgação)
A Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) trabalhou com pesquisadores da Universidade Tulane para identificar o 'mini-tubarão' (Foto: Michael Doosey/Tulane University/Divulgação)

Cientistas americanos descobriram em seu próprio laboratório um exemplar raríssimo de tubarão, que só tinha sido encontrado uma única vez antes, no Peru, há 36 anos. O gênero Mollisquama, chamado em inglês de pocket shark, ou tubarão de bolso, tem como peculiaridade seu tamanho – o exemplar descoberto recentemente mede menos de 14 cm – e também sua aparência inofensiva.

O mini-tubarão estava entre os exemplares coletados em uma missão de 2010 feita pelos pesquisadores da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) no Golfo do México, na costa do estado da Louisiana. O objetivo da missão era estudar os hábitos alimentares da baleia cachalote, segundo o pesquisador Mark Grace, do Laboratório de Pesca da NOAA em Pascagoula, no Mississippi.

Mas, ao se deparar com o pequeno tubarão no laboratório, no meio de outras espécies marinhas coletadas, ele pediu a pesquisadores da Universidade Tulane e para um especialista em genética da NOAA examinarem o exemplar mais de perto. O que descobriram foi que ele era muito semelhante ao Mollisquama parini, espécie descrita pela primeira vez em 1979.

Ilustração da espécie rara Mollisquama sp., ou "tubarão de bolso", descoberta por pesquisadores da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA)  (Foto: NOAA FishWatch.gov/Divulgação)
Ilustração da espécie rara Mollisquama sp., ou "tubarão de bolso", descoberta por pesquisadores da Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) (Foto: NOAA FishWatch.gov/Divulgação)

Desde então, nenhum outro exemplar tinha sido visto na natureza até a descoberta feita por Grace. A análise do animal levou à sua classificação como o segundo tubarão do gênero Mollisquama já descrito. Algumas diferenças em seu corpo, porém, levaram os cientistas a classificá-lo como uma espécie diferente daquela descoberta em 1979: seu nome científico passou a ser Mollisquama sp.

“O ‘tubarão de bolso’ que encontramos tem apenas 14 cm de comprimento e era um macho recém-nascido”, disse Grace. “Descobri-lo nos fez pensar sobre onde sua mãe e seu pai podem estar, e como eles chegaram ao Golfo. O único exemplar conhecido foi encontrado muito longe, no Peru, há 36 anos.”

O estudo que descreveu a espécie foi publicado nesta quarta-feira (22) na revista científica "Zootaxa".
 
Tubarão ou cação?

Apesar de existir uma ideia corrente de que um tubarão pequeno deve ser chamado de cação, essa noção está errada, diz o oceanógrafo Ricardo Cardoso, do Aquário de São Paulo.

“Cação é a denominação popular que há muito tempo é dada para a carne de tubarão. Inclusive os pescadores têm a brincadeira de que, quando a gente come ele, é o cação e, quando ele come a gente, é o tubarão.” Na realidade, segundo Cardoso, cação e tubarão são a mesma coisa.

Ele observa que existem muitas espécies de tubarão de pequeno porte, que medem entre 50 cm e 1,2 m. Mas o exemplar encontrado, de 14 cm, pode estar entre os menores já descritos.

Fonte: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2015/04/cientistas-descobrem-exemplar-raro-de-minitubarao-de-apenas-14-cm.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...