quarta-feira, 8 de abril de 2015

Cientista Português alerta para alterações drásticas na Antártida

O cientista José Xavier participou num estudo internacional que indica mudanças preocupantes no ambiente do continente gelado com impacto em todo o mundo

São más notícias para a Antártida. No futuro, devido às alterações climáticas, a acidificação do Oceano Antártico poderá tornar-se num dos maiores problemas para os organismos marinhos que lá vivem, alerta um estudo internacional que tem a participação do cientista português José Xavier, investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente da Universidade de Coimbra (MARE-UC), que fez já várias expedições científicas ao continente gelado (imagens seguintes).

Sendo a Antártida uma das regiões do planeta que tem mostrado sinais de mudanças ambientais bastante rápidas e profundas, um grupo de 11 cientistas, de 9 países (Alemanha, Argentina, Canadá, Espanha, Estados Unidos da América; França, Nova Zelândia, Portugal e Reino Unido), desenvolveu um estudo para avaliar e quantificar essas mudanças.

Os resultados, publicados na revista científica Global Change Biology, mostram que grande parte do Oceano Antártico vai ser afectada por processos associados às alterações climáticas e que essas áreas vão ser maiores do que as observadas no passado.

A pesquisa revela também que, no futuro, os factores ambientais que causam stress ao ecossistema marinho do Oceano Antártico poderão chegar a 86% de todo o Oceano Antártico.

"Este foi o primeiro estudo a quantificar os múltiplos fatores ambientais que afetam o Oceano Antártico como um todo e a indicar quais as áreas que poderão ser mais atingidas no futuro", salienta José Xavier.

Como membro coordenador do programa AnT-ERA do Comité Cientifico para a Investigação na Antártida (SCAR), programa do qual surgiu esta investigação, o cientista polar da UC adianta ainda que "as regiões costeiras junto ao continente, e particularmente a Península Antártica, vão ser as regiões mais afetadas por estes múltiplos stresses ambientais (como por exemplo: degelo, aumento da temperatura, diminuição do gelo marinho), alertando-nos para onde deveremos focar os nossos estudos científicos futuros".


"O nosso maior desafio futuro será avaliar os efeitos destes factores ambientais na vida dos animais, e em toda a cadeia alimentar, que vivem no Oceano Antártico e qual a severidade desses factores nas diferentes regiões deste Oceano. Estamos a trabalhar nisso agora", conclui José Xavier.

Fonte: http://www.sabado.pt/ciencia___saude/detalhe/portugues_alerta_para_alteracoes_drasticas_na_antartida.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...