quinta-feira, 9 de julho de 2015

Iridologia - Saiba o estado da sua saúde pelo exame da íris

O exame minucioso da íris permite ao iridologista conhecer com precisão o estado de saúde do paciente e, inclusive, observar os processos de cura dos órgãos internos  
Cada alteração na cor e/ou nas formas das fibras que compõem a íris reflete uma alteração ou um padrão de tendência da região, função ou órgão correspondente (Ahodges7//Wikimedia Commons)
Cada alteração na cor e/ou nas formas das fibras que compõem a íris reflete uma alteração ou um padrão de tendência da região, função ou órgão correspondente (Ahodges7//Wikimedia Commons)
Iridologia é a ciência do estudo da íris para conhecer o estado de saúde de uma pessoa.
Através dos sinais que surgem nas fibras que compõem a íris é possível conhecer o estado geral do organismo, dos órgãos, das funções fisiológicas e até mesmo as condiçõe e tendências psicológicas de uma pessoa.
A iridologia é uma ciência ocidental bem estabelecida atualmente, ainda que não esteja dentro das ciências médicas convencionais e ortodoxas.

Fundamentos da iridologia

Os bons iridologistas fazem um trabalho excelente através da observação minuciosa da íris de seus pacientes, verificando sua constituição orgânica, suas condições hereditárias, seus desequilíbrios metabólicos, suas carências nutricionais, seu nível de toxinas, sua condição imunológica, suas características emocionais e suas tendências psicológicos importantes e muitas outras condições.
Isso só é possível porque a íris manifesta diretamente ao exterior o que ocorre dentro do organismo, porque seus tecidos e suas configurções gerais (suas fibras, sua cor e várias outras características) alteram-se sensivelmente quando ocorrem mudanças no funcionamento e na anatomia das estruturas que compõem o organismo.
E essas alterações correspondem perfeitamente às regiões e sistemas específicos do corpo, o que faz da íris um microsistema extremamente preciso para constatar alterações anatomicas e funcionais no organismo, quer sejam de origem física ou psicológica.
Entretanto, isso só é possível graças ao mapeamento das zonas reflexas na íris, que foi sendo feito por estudiosos, cientistas, médicos e terapeutas no decorrer de um longo período de tempo; ou seja: devido ao estudo e à observação de muitos estudiosos, em diversas partes do mundo, pequenas regiões da íris foram sendo identificadas e mapeadas segundo se alteravam quando surgiam doenças, distúrbios metabólicos, infecções, conflitos psicológicos, condições hereditárias, traumas (físicos e/ou psicológicos) e outras.
Mapa da íris direita (Kampanis/Wikimedia Commons)
Mapa da íris direita (Kampanis Wikimédia Commons)
                                                                                                    
O famoso evento ocorrido com Ignatz Von Peczley ilustra bem a singularidade e a precisão das alterações que ocorrem na íris e a possibilidade de estabelecer relações reflexas a partir de sua observação.
Ignatz Von Peczley era um garoto húngaro com dez anos quando presenciou um fenômeno curioso: um dia, ao tentar livrar uma coruja que estava presa num arbusto, ela quebrou uma pata, e Von Peczley viu surgir numa determinada região de sua íris uma mancha escura.
Ele passou a cuidar da pata da coruja e com o tempo percebeu que o local em que surgira a mancha escura estava tornando-se claro, até que um dia, quando a pata restabeleceu-se completamente, o local tornou-se branco.
Ele guardou isso em sua mente e mais tarde começou a observar a íris das pessoas e foi aprendendo a fazer associações entre as doenças e as alterações na íris.
Com o passar dos anos passou a estudar mais seriamente abordagens terapêuticas diversas e, por fim, foi estudar medicina.
Então, combinou o seu conhecimento empírico do exame da íris com a sua formação médica e desenvolveu o primeiro mapa iridológico moderno, que com o tempo foi sendo aprimorado por outros estudiosos, terapeutas, médicos e cientistas.
Hoje, os mapas da íris são muito precisos e muito diversos, porque abordam a íris de diferentes formas – sob o aspecto físico, emocional, psicológico e até espiritual -, fazendo da iridologia uma ciência complexa e extraordinária. Além disso, existem abordagens e mapas que estudam minuciosamente os estados das pupilas, as quais refletem também uma diversidade de condições psico-físicas importantes.

Tratamentos

Os tratamentos oferecidos pelos iridologistas são muito precisos, profundos e completos, auxiliando as pessoas de uma forma bastante profunda e em diversos níveis, agindo de forma holística e integrada. Os resultados são surpreendentes, mesmo para doenças degenerativas.
Como a iridologia foi desenvolvida junto com as formas naturais de tratamento que estavam muito em voga na época de Von Peczley (1826 – 1911), os recursos terapêuticos a ela associados são basicamente os naturalistas ou naturopáticos: hidroterapia (não é a hidroterapia usada na medicina convencional atual, mas sim algo muito mais amplo e de múltiplas aplicações), geoterapia, trofoterapia, terapia floral, suplementos e oligoelementos, homeopatia, fitoterapia e outros.
As formações em iridologia não fazem parte da medicina convencional e qualquer pessoa, desde que tenha um nível regular de instrução escolar, pode aprender e trabalhar com a iridologia.
Porém, os estudos, em geral, são bastante sérios e complexos, exigindo um grande esforço e dedicação. As disciplinas são muito ricas, abrangentes e singulares, possibilitando uma formação bastante ampla e competente do iridologista.
Praticamente todos os tipos de desequilíbrios e doenças podem ser tratados através da iridologia e suas terapias associadas; mas o tratamento tende a exigir algumas mudanças importantes no estilo de vida da pessoa, já que o objetivo da iridologia é restabelecer o melhor possível o estado de saúde essencial da pessoa.

Fonte: https://www.epochtimes.com.br/iridologia-conheca-estado-saude-exame-iris/#.VZ7y2PkYEQQ

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...